Desafiando a queda do mercado cripto: o recente bull run da TRON (TRX) explicado

Everything you need to know about Tron

Mais de uma semana se passou desde que a stablecoin algorítmica da Terra: UST perdeu sua paridade com o dólar americano e entrou em uma espiral da morte no começo de maio de 2022. Isto levou a uma queda massiva no preço da LUNA, e causou uma ampla queda no mercado dos ativos digitais.

Mesmo assim, enquanto a comunidade cripto continua atônita com as consequências do último black swan event (evento inesperado), os holders do token nativo da TRON (TRX) estão acumulando ganhos, mesmo quando o TRX também foi impactado pela queda da Terra.

Mas, qual é o motivo por trás da performance extraordinária da TRX esse mês? Vamos descobrir juntos neste artigo!

TRON e seu token nativo TRX

Antes de focar na análise do preço recente da TRX, entendamos o que é TRON.

Fundada em 2017, TRON é uma rede blockchain pública de smart contracts, que tem como objetivo tornar-se a principal infraestrutura para a internet descentralizada.

Assim como muitas das redes concorrentes da Ethereum, a TRON utiliza o mecanismo de consenso baseado em participação (staking) denominado Delegated Proof-of-Stake (DPoS), e prioriza a escalabilidade para operar uma cadeia rápida que alcança uma velocidade de 2000 TPS (transações por segundo), na qual o tempo para gerar um novo bloco é de três segundos.

No entanto, a rede sacrificou um grande nível de descentralização para atingir um alto desempenho, uma vez que somente 27 nós (conhecidos como Super Representatives) são responsáveis pela produção e pela validação dos blocos.

A TRX, criptomoeda nativa da TRON, é utilizada para executar todo tipo de transações dentro do ecossistema. Além disso, dado que a blockchain utiliza o algoritmo DPoS, os validadores e seus delegadores (delegators) têm que fazer staking para produzir blocos, obtendo dividendos como recompensa.

Apesar dos ambiciosos planos do projeto de se converter no “Ethereum killer”, a TRON, que possui uma extensa história, tinha ficado para trás de blockchains de smart contracts mais novas, especialmente no campo das finanças descentralizadas e dos NFTs. Pelo menos por um tempo.

Para o final de abril de 2022, a TRON era a sétima no ranking das blockchains com mais atividade DeFi, com uma quota de mercado de apenas 2.02% (market share); sendo superada significativamente por Terra, Binance Smart Chain e Avalanche.

Contudo, depois que UST perdeu sua paridade, a Terra, que previamente representava 16% do valor do mercado DeFi, viu cair seu valor a parcos 0.36% no último 16 de maio. Como resultado, múltiplas blockchains alternativas de smart contracts começaram a ganhar terreno, o que permitiu que a TRON se convertesse na quinta blockchain de DeFi, com cerca do 4% da quota de mercado.

Um dos principais usos da TRON é a transferência de stablecoins, mais especificamente de USDT da Tether. É uma alternativa de custo eficiente às elevadas transações ERC-20. A capitalização de mercado do USDT na rede TRON é quase a mesma que na própria rede Ethereum, embora o Tether tenha movido recentemente 1 bilhão de USDT que estavam na TRON para outras cadeias.

Por outro lado, a TRON não é uma cadeia popular para NFTs. De fato, o projeto não foi considerado entre as top 17 cadeias para não fungíveis, conforme dados da CryptoSlam.

O que aconteceu com a TRX?

Como todas as grandes criptomoedas, a TRX teve um ótimo ano 2021, com um ROI (retorno sobre investimento) de 180% até a data, apesar da correção do final do ano.

O mais surpreendente é que a criptomoeda foi capaz de desafiar a queda do mercado digital causada pela Terra nos últimos dias.

Definitivamente a TRX sentiu a pancada do black swan event. Ainda assim, seu preço aumentou 10% desde 1° de maio, dia em que começou seu ressurgimento. Como ponto de comparação, BTC, ETH e XRP perderam 22.5%, 27.8% e 31.2%, respectivamente, nos seus valores durante o mesmo período.

Paradoxalmente, um dos maiores motivos por trás da excelente performance da TRX no mês de maio foi justamente o que causou a queda do mercado: uma stablecoin algorítmica.

Enquanto o ativo estável da Terra, UST, está sendo comercializado a um valor muito inferior ao planejado USD 1 (em torno de USD 0.11 no mês de maio), a organização autônoma descentralizada da TRON, TRON DAO, lançou a stablecoin algorítmica USDD (Decentralized USD) no final de abril.

Em vez de depender de garantias reais (como colateral em cripto ou em dinheiro fiat), o algoritmo de USDD utiliza um processo muito similar ao da Terra para manter a paridade da sua stablecoin com o dólar. No dito processo, o algoritmo queima TRX para cunhar USDD, e vice-versa, enquanto incentiva atividades de arbitragem com descontos acima ou abaixo do valor de mercado, para alcançar a estabilidade no preço.

O fundador da TRON, Justin Sun, tem tranquilizado a comunidade acerca dos planos relacionados com o projeto da sua stablecoin algorítmica. O que é diferente com a USDD é que ela está projetada para ter uma capitalização de mercado muito menor do que a TRX. É importante lembrar que antes da perda da paridade com o dólar, a capitalização de mercado da UST era equivalente a 65% da LUNA.

Isso, além dos planos da TRON DAO de destinar USD 10 bilhões de stablecoins (da concorrência) e grandes quantidades de BTC e TRX como colateral, tem como objetivo proporcionar a estabilidade de preço desejada à USDD, e evitar um cenário desventurado, como o que vimos no caso da UST.

Considerando tudo isso, além dos 30% de APY (rendimento anual percentual) “livre de risco” que o projeto oferece por fazer staking de USDD, não é surpresa que a TRX tenha crescido ultimamente.

A stablecoin USDD aumentou seu valor de capitalização de mercado, de menos de USD 200 000 em 2 de maio para quase USD 290 milhões em 16 de maio. Dado que é preciso queimar TRX para cunhar a USDD, a oferta de TRX em circulação diminuiu 3% em apenas 16 dias. Uma redução tão significativa na oferta poderia ter facilitado os movimentos de alta do preço (bullish trend) do ativo digital.

TRX: Desafiando a queda do mercado cripto

Nos últimos dias, a TRON tem surpreendido a comunidade cripto.
Enquanto a perda da paridade da UST da Terra desencadeou uma queda significativa no mercado durante as últimas semanas, a nova stablecoin algorítmica USDD facilitou o bull run da TRX, desafiando as atuais tendências bearish (tendências de baixa) do mercado cripto.

Interessantemente, o projeto parece estar caminhando com mais cuidado com sua stablecoin algorítmica do que a Terra, ao não permitir que sua capitalização de mercado cresça além do valor de mercado da criptomoeda nativa (TRX), ao mesmo tempo que utiliza uma combinação de BTC, de TRX e de ativos estáveis como colateral.

Mas, a longo prazo, o mecanismo de estabilidade de preços da stablecoin da TRON é sustentável? Nesse caso, a USDD poderia se tornar a sucessora da UST. Ou por outro lado, a USDD estará destinada a sofrer o mesmo destino da criptomoeda algorítmica da Terra?

Tags

Choose a language